Luxação do Ombro

 

O ombro é a articulação de maior amplitude de movimento do corpo humano, tendo uma estrutura óssea propicia à luxação.
A cabeça do úmero se articula com a glenóide, sendo essa muito rasa e permitindo que o úmero deslize facilmente. Para aumento da estabilidade do ombro existe o lábio glenoidal (labrum), estrutura aderida a borda da glenóide e que aumenta a área de contato e a profundidade da articulação.

A luxação do ombro, pode ocorrer basicamente por 2 motivos:

1. Frouxidão ligamentar; mais frequente no sexo feminino e de tratamento eminentemente conservador com fisioterapia e fortalecimento muscular da cintura escapular

2. Trauma; força externa ao corpo que força a cabeça do úmero para fora do contato com a glenóide.

a. Cerca de 90% dos casos traumáticos determinam a luxação anterior (cabeça do úmero vai para frente e inferior da glenóide). Podendo levar as seguintes lesões

i. Descolamento da porção anterior do lábio da glenóide (lesão de Bankart)

ii. Fratura afundamento da porção posterior da cabeça do úmero (Lesão de Hill-Sachs)

b. Cerca de 10% dos demais casos ocorrem com luxação posterior (cabeça do úmero vai para posterior da glenóide). Podendo levar as lesões inversas das possíveis na luxação anterior.

O diagnóstico da luxação é feito pelo exame físico e complementado por radiografias para o diagnóstico de possíveis lesões ósseas associadas (fraturas)